• Brenda Queiroz, Bruna Rodrigues, Breno Marcondes

Os cílios e cores de Brunno: de Ney Matogrosso a Pabllo Vittar


Carismático e irreverente, Brunno Albuquerque (com dois “N”, ele deixa bem claro), é uma pessoa que não liga para os padrões impostos pela sociedade. No auge dos seus 20 anos, se denomina andrógeno, é uma pessoa decidida e dona de si, que busca se diversificar no cenário LGBT. Artista em Campina Grande, cidade onde mora, faz sua carreira como Makeup Artist.     

Além de Makeup, Brunno também atua como fashionista, domina o estilo e a maquiagem como ninguém. Dá para ver o olho brilhar quando ele fala dos produtos de maquiagem, ama as marcas internacionais, mas não tem dinheiro para isso como as Kardashians, pessoas que ele se inspira bastante, assim como Pabllo Vittar, Ney Matogrosso e Marilyn Monroe. 

Quando se fala em maquiagem artística, meu bem, ele cita a banda Kiss – uma banda de hard rock dos Estados Unidos, formada em Nova Iorque em 1973 por Paul Stanley e Gene Simmons. Conhecida mundialmente por suas maquiagens e por seus concertos que incluem guitarras esfumaçantes, cuspir fogo e sangue, pirotecnias entre outros efeitos – e toda sua ousadia na maquiagem.

“Eu me inspiro muito na Pabllo Vittar, além dela, também gosto da Kim Kardashian, Kylie Jenner e Marilyn Monroe . Restringindo mais ao Brasil, meu maior ídolo é o Ney Matogrosso. Tem o Jhonny Hooker que também segue essa linha, mas não gosto muito dele”.

Nosso maquiador evita se maquiar ou andar maquiado na frente dos pais para não causar constrangimento para ambos, apesar de aceitarem e hoje em dia respeitarem seu trabalho, ele acha melhor assim. “Eu evito, sabe, assim não há perigo de alguém dizer algo que magoe ambos”.

Podemos separar o Brunno antes e depois da produção, no final ele ganha um brilho que vai além do iluminador que a maquiagem trás.

Brunno começou a se maquiar aos 17 anos por iniciativa própria, tomou gosto pela coisa e aderiu a profissão de Makeup Artist. Adora trabalhar com o que tem em mãos, mas se rolar de conseguir uma make importada, melhor ainda não é mesmo?! “As maquiagens importadas são muito caras, é mais por questão de custo mesmo, não tenho condições de estar sempre comprando bases, pó, rímeis caros. Aí, a gente faz o que pode”.

Uma produção em grande estilo, Brunno leva mais de duas horas entre preparar a pele, os produtos, e finalizar o processo. No final de tudo, ele já se encontra pronto para o close.

Quem vê Brunno produzido, posando em diversas fotos com seus cílios enormes e marcantes, com seu batom forte e bem marcado, juntamente com seu “carão” imbatível, consegue enxergar o seu brilho, sua arte. De uma forma tão própria e marcante que logo se percebe, quem está ali, o Brunno Albuquerque com dois "N”.

FICHA TÉCNICA:

Fotografia e reportagem: Brenda Queiroz, Bruna Rodrigues, Breno Marcondes, Núbia Alves, Rayssa Alves.

Monitora: Mayara Bezerra

Supervisão editorial: Rostand Melo e Maria Zita Almeida.

Locação: Camarins do Cine-teatro São José

Agradecimentos: Marcos Moraes

#maquiagem #PabloVittar #Experiencia #Arte #Retratos

Supervisão Editorial: 

Rostand Melo (DRT-PB 2717)

coletivof8.foto@gmail.com

Projeto de extensão - cota 2019/2020

Edital nº 02/2019 - PROEX/UEPB 

Decom2.png

© 2018-2020 Coletivo F8

Todos os direitos reservados

Logo Coletivo F8 criada por: Alexandre César.

© 2018-2020 Coletivo F8

Todos os direitos reservados