• LUCAS OLIVEIRA GUIMARAES

Melhor prevenir do que remediar: O hábito das atividades físicas.


Ciclista no Açude Velho - Foto: Lucas Oliveira

Os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas são metas estabelecidas para o desenvolvimento mundial. Ao todo, mais de 193 países membros da Cúpula das Nações Unidas assinaram esse pacto para promoção do crescimento sustentável até 2030.


A terceira dessas ODS se refere a saúde e bem-estar, com o objetivo de assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todas pessoas. Todas as metas desse objetivo referem-se exclusivamente à saúde, controle de doenças e acesso a serviços.


Porém, como diz o ditado, “é melhor prevenir do que remediar”. E qual seria a melhor forma de prevenir doenças além das atividades físicas?


De forma geral, as pessoas iniciam uma atividade física buscando mudanças no estilo de vida, seja por doenças, reabilitação ou questões estéticas. Geralmente são influenciadas por outras pessoas do seu meio ou por mandos médicos e antes de iniciar uma atividade, devem ter em mente o porquê estão começando e o que querem alcançar durante a prática.


Esse foi o caso da Lourdes Maria. Aos 56 anos de idade, a aposentada passou a realizar atividades após diagnóstico de colesterol alto.

"Já sinto a diferença mesmo em pouco tempo. Agora acordo cedinho, faço minhas coisinhas e venho para academia com minha filha se exercitar. Chega tô mais feliz"
Lourdes Maria em academia - Foto: Ruth Emanuelly

Contudo, o ideal é procurar um profissional para que seja feita uma avaliação física, tendo o direcionamento exato do que pode ser feito. É fundamental identificar se o praticante tem alguma limitação, pois algumas podem acabar agravando o atual estado do praticante. Por isso é importante a realização de avaliações físicas e psicológicas para identificar esses fatores.


O guia da atividade física para população brasileira, feito pelo Ministério da Saúde, indica atividades que podem ser praticadas no tempo livre, em deslocamento, nos serviços domésticos e até no trabalho. Os níveis que podem variam entre leve, moderado ou vigoroso.


Por isso, as academias públicas ao ar livre são um bom ponto de partida, pois é possível executar exercícios abdominais, braçais, simular caminhadas e fortalecer os membros inferiores e superiores, além de serem de fácil acesso.


Ademais, as caminhadas realizadas ao ar livre podem ser um facilitador, principalmente pelo seu fácil acesso promoção do contato com o ambiente, ajuda na perda de peso, abaixar a pressão arterial e colesterol, reduzindo o risco de doenças cardíacas, câncer, diabetes entre outros benefícios.


Para fim do sedentarismo, hipertrofia ou qualquer outra intenção, existem múltiplas escolhas para realização de exercícios físicos no cotidiano. Escolha aquela que melhor se encaixa com você para se movimentar e melhorar a sua saúde.


Confira mais fotos no slideshow:


 

Ficha Técnica:

Texto: Lucas Oliveira

Fotos: Jossandra Honório, Lucas Oliveira e Ruth Emanuelly

Supervisão: Rostand de Albuquerque Melo e Ester Santos Bezerra








76 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo