• Eslay Alves, Nadine Liberato e Tiago Vasconcelos

Cenas de um “não tão” novo normal: a pandemia no Rio Grande do Sul

A fotorreportagem "O Coronavírus no RS - semana 29", apresenta a situação da pandemia da covid-19 no estado do Rio Grande do Sul. Neste ensaio fotográfico, a equipe de fotojornalistas da Agência RBS registrou a 29ª semana dos efeitos da pandemia no estado.

O ensaio foi realizado de 14 a 20 de setembro de 2020.


Foram apresentadas imagens que retratavam a adaptação ao tão chamado “novo normal”, como também a flexibilização dos decretos à época, representados nas imagens de restaurantes abertos, de pessoas utilizando o transporte público e de mães levando seus filhos pequenos para o retorno das aulas na educação infantil.


No entanto, também foi produzida uma fotografia mostrando a intensa movimentação de pessoas nas ruas da capital Porto Alegre, seja se deslocando para trabalhar, retornando ao seu lar, cada um com seus motivos. Também é possível notar nesse registro a ausência do uso da máscara por parte de alguns cidadãos.


Na série de retratos, são capturados momentos tradicionais do povo gaúcho, como na foto de 14 de setembro de 2020. Sob as lentes de Ronaldo Bernardi, dois homens realizavam a encenação do acendimento da Chama Crioula.


Sobre esse costume, diz-se que é o fogo que simboliza, de fato, a Tradição Gaúcha. Representa o espírito heroico, tão idealizado pela cultura gaúcha, e os farroupilhas, com os ideais de justiça e liberdade, visando a aproximação dos povos. Ambos os homens foram fotografados usando máscaras e montando seus cavalos; através disso, Bernardi possivelmente quis mostrar a resistência das tradições gaúchas em meio à pandemia.


Outro registro feito por Bernardi foi o retorno do Catamarã da Catsul, o seu papel é fundamental na vida das pessoas da região. O transporte hidroviário é responsável por deslocar as pessoas entre Porto Alegre e Guaíba. O lago tem uma área equivalente a cerca de 500 m².


É sabido que a pandemia prejudicou a renda de milhões de pessoas, que precisaram mudar de área, ou arriscar e tornar-se donos dos próprios negócios. E isto é ilustrado por Marco Farevo, que por meio de suas lentes, apresentou Lucas Mota.


Lucas foi um dos milhares de brasileiros que ficaram desempregados na pandemia. Ele então tornou-se empreendedor e abriu sua própria empresa, uma distribuidora de alimentos.


Farevo também é responsável por outra captura dessa série de fotos. Um registro de um idoso, de celular em mãos, em chamada de vídeo com voluntários, que se disponibilizam a entreter idosos nesse contexto tão complicado para ele.


Lauro Alves registra a relação de vizinhos. Cada um na sua varanda, interagindo, batendo papo, desopilando. Cena que se tornou comum com este cenário.


Esses foram apenas alguns registros de uma situação jamais vivenciada no Brasil em toda sua história. Costumes, hábitos, tradições, rotinas, sonhos. Tudo adequado a uma realidade jamais esperada por nenhum brasileiro. A vida surpreende.



Na foto, Stefani Santos - Imagem de Marco Favero / Agencia RBS

FICHA TÉCNICA

Fotos: Marco Farevo, Ronaldo Bernardi, Lauro Alves, Félix Zucco, Jefferson Botega, Isadora Neumann (Agência RBS);

Análise: Eslay Alves, Nadine Liberato e Tiago Vasconcelos

Monitoria e redes sociais: Manoel Cândido, Josineide Barbosa e Louise Viana

Supervisão editorial: Rostand Melo


*Observatório de fotojornalismo:

O Coletivo F8 optou por produzir análises sobre produções de fotojornalismo realizadas e publicadas entre 2020 e 2021 como alternativa de manter a produção acadêmica dos estudantes de fotojornalismo da UEPB, respeitando os protocolos de distanciamento social. São analisadas fotografias publicadas em revistas, jornais ou portais de notícias e que abordam temas diversos, mas que foram produzidos no contexto da pandemia.


13 visualizações0 comentário