• Por: Arnaldo Neto, Maryana Teles, Stella Costa.

'Labra' no Insta: Toda a beleza e malemolência de Bruna Hellen



Olhos verdes, cabelos longos e ondulados, sorriso visto há dez quilômetros de distância. Não há como negar o carisma de Bruna Hellen Oliveira Fernandes, que com os seus 24 anos de idade, possui mais de 6.900 seguidores no Instagram, conquistados com sua simpatia e gingado frente às câmeras. Com vídeos produzidos em casa e sem pretensão nenhuma, Bruna faz parte da gama de jovens que crescem em números nas redes sociais apenas por mostrarem sua rotina e serem quem são.

O Instagram é uma plataforma que permite aos usuários compartilharem suas rotinas e estilo de vida por meio de fotos e vídeos pouco produzidos. Essa atividade, com determinado número de visualizações e engajamento de quem assiste pode ser profissionalizada e transformada em fonte de capital. Para alguns, esse é o objetivo. Para outros, como dizem, simplesmente acontece. A popularidade dos usuários pode acontecer de forma tão natural, que sequer é vista. Eis o caso de Bruna.


Nascida em 27 de agosto, na cidade de Campina Grande - Paraíba, ela não tinha grandes objetivos nas redes sociais. “Não foi planejado”, conta. E talvez a poesia por trás de toda essa história tenha acontecido logo que nasceu, isso porque, por ser adotada, Bruna não sabe exatamente de onde veio, suas informações se baseiam em escritos vagos no registro de certidão.


E por não ter objetivos, aponta que todo dia é uma novidade. “Eu nem sei o que começou, mas sempre fui ativa nas redes sociais e quando surgiu o stories no Instagram, que era praticamente uma junção de Instagram e Snapchat, eu comecei a fazer os vídeos curtos de tudo que eu quisesse. (...) Só que nunca foi um plano, eu sempre fui assim e desde que a ferramenta surgiu, eu comecei a usá-la. ”

Entretanto, essa história é apenas pano de fundo para quem se tornou. Apaixonada por dança, passou a publicar vídeos com coreografias feitas a base do improviso ou ensaiadas, em momentos comuns de seu dia a dia, entre as milhares de confissões e desabafos divididos nos stories.

“Talvez seja isso que as pessoas achem interessante, porque todo mundo está acostumado a acompanhar as personagens nas redes sociais, que são felizes o tempo todo ou que são felizes pelas coisas que compram e eu compartilho a realidade que eu vivo: As partes boas, ruins e até as mais hilárias histórias que normalmente as pessoas tem vergonha de mostrar. Eu mostro que posso ser feliz com o que tenho”.

E mesmo com essa popularidade toda, ela conta que não gosta de ser considerada uma digital influencer, blogueira ou qualquer uma das denominações dadas a quem trabalha exclusivamente com internet. “Eu sou eu mesma” e usa o chamado “Labro La Vie” como um mantra pessoal e diário.

Bruna é estudante de jornalismo e mesmo com todo esse crescimento nas redes acredita que muitas coisas ainda estão por vir. “Eu nem sei o que começou, mas sempre fui ativa nas redes sociais’, comenta sempre que questionada sobre o seu sucesso e o jeito torto e sincero como adquiriu popularidade:


“percebi quando pessoas que não conheço começaram a falar comigo quando me encontram.”

E acrescenta que seu futuro é como uma página em branco e que está disposta a escrevê-la. “Eu sonho demais. Meus sonhos até mudam, mas não param em um só lugar, são tantos que não dá para citar aqui. ”

Bruna faz parte da grande massa de jovens que foi descoberta pelas redes sem ter a menor intenção. Simpatia, autenticidade e carisma são requisitos fundamentais para quem deseja levar essa função como uma profissão futura. Agora, enxerga a novidade como um bônus, uma chance de ser maior, mas que isso não é tudo. “Ainda quero muito ter um espaço para gravar meus vídeos de forma mais organizada, poder me dedicar a um canal onde eu possa expor o que eu penso, falar das coisas do meu jeito e me divertir.”

E completa “eu gostaria de espalhar minha energia pelo mundo. Ter como viajar, passar minha mensagem para mais pessoas. Isso com certeza me deixaria muito feliz. ”

“Labra la vie’, Bruna. ‘Labra la vie! ’

FICHA TÉCNICA:

Fotografia: Arnaldo Neto; Maryana Teles; Stella Costa

Reportagem e texto: Arnaldo Neto

Edição de imagens: Maryana Teles

Modelo: Bruna Hellen

Monitoria: Carla Miranda

Supervisão Editorial: Rostand Melo

Obs: ensaio fotográfico produzido antes do início das medidas de isolamento social.

Supervisão Editorial: 

Rostand Melo (DRT-PB 2717)

coletivof8.foto@gmail.com

Projeto de extensão - cota 2019/2020

Edital nº 02/2019 - PROEX/UEPB 

Decom2.png

© 2018-2020 Coletivo F8

Todos os direitos reservados

Logo Coletivo F8 criada por: Alexandre César.

© 2018-2020 Coletivo F8

Todos os direitos reservados