• Amanda Queiroga / Lívia Maria

Augusto Arruda: uma voz, um dom e o amor em notas musicais


Natural de Campina Grande, cidade do interior da Paraíba, detentora do título de Maior São João do Mundo, o cantor Augusto Arruda deixou a cidade ainda criança. Filho de militar, tendo que se acostumar com as chegadas e partidas que a carreira do pai exigia, viveu em diferentes regiões até retornar a Rainha da Borborema dezoito anos depois, trazendo na bagagem bastante experiência em festivais e uma grande paixão pela música. Poderia até ter seguido a carreira militar, mas com apenas quatro anos já mostrava o seu dom precocemente ao cantar na igreja evangélica junto com seus pais. A família por sinal foi sua grande incentivadora, pois sempre esteve envolvida com a música tanto na igreja quanto fora dela, e ainda hoje a música gospel é sua grande referência.

Com uma trajetória digna e vitoriosa, de muitas emoções e conquistas, costuma dizer que sua vida parece um espetáculo da Broadway, pois seja no ônibus voltando da faculdade, dirigindo, no chuveiro, em qualquer lugar ele está cantando.

Apesar da experiência, Augusto Arruda ainda carrega consigo a mesma emoção de quando cantou em um evento da escola aos nove anos de idade - momento este que mais marcou a sua trajetória na música – onde se emocionou com a reação das pessoas e percebeu que realmente tinha nascido para os palcos e desde então não parou mais.

Participou e foi finalista de vários festivais pelo Brasil, e em 2016 foi o grande vencedor do Programa Dom, na categoria Melhor Cantor, da TV Itararé, afiliada da TV Cultura na Paraíba. Sobre o programa ele só teceu elogios, e viu se concretizar um grande sonho: “Eu enxergo o DOM como o grande divisor de águas da minha vida, onde eu pude me inserir no meio musical da cidade, resgatar o prazer de cantar em festivais e várias portas se abriram para mim. A proposta do programa é linda, e o resgate da cultura brasileira no DOM é uma das coisas que mais gosto de ressaltar. O programa tem uma grande responsabilidade sociocultural e foi um momento muito importante pra mim”.

Sempre buscando novos desafios, esse jovem de brilho próprio e muita luz – não é a toa que canta na Orquestra Andaluz – têm em mente vários projetos, dentre eles a possibilidade de carreira solo. – “Eu gosto muito de cantar com a Andaluz, eles são incríveis, maravilhosos, por isso estou montando um projeto para conciliar os dois trabalhos. Eu me inspiro muito no Soul, Jazz, música Black, Samba e Bossa Nova. Pra carreira solo eu pretendo levar aquilo que eu gosto de cantar, que me passa emoção, então o repertório será bem diversificado com grandes nomes nacionais e internacionais, recheado de Cartola, Alcione, Ed Motta, Elis Regina, Tim Maia, Adele, Whitney, Tina Turner.”

Com voz imponente e muita maturidade musical, não há dúvidas que Augusto nasceu para brilhar nos palcos da vida. “Eu encaro a música como uma grande paixão. Quando você está cantando no palco você está transmitindo a sua verdade através da sua voz, o seu amor, o que você mais gosta de fazer. E não há dúvidas de que o que eu mais gosto de fazer na vida é cantar, é o que me causa frio na barriga”.

Augusto Arruda: carismático, talentoso, dono de um olhar expressivo e que causa encantamento ao soltar sua bela voz. Um jovem sonhador, um homem vencedor

#músico #campinagrande #cantor #dom #música #festival

Supervisão Editorial: 

Rostand Melo (DRT-PB 2717)

coletivof8.foto@gmail.com

Projeto de extensão - cota 2019/2020

Edital nº 02/2019 - PROEX/UEPB 

Decom2.png

© 2018-2020 Coletivo F8

Todos os direitos reservados

Logo Coletivo F8 criada por: Alexandre César.

© 2018-2020 Coletivo F8

Todos os direitos reservados