top of page
  • BIANCA DANTAS ALVES

Esporte e lazer como ferramentas de democratização e inclusão social


Hall de entrada do Departamento de Educação Física.
Departamento de Educação Física, local onde acontecem as aulas da escolinha (Foto: Bianca Dantas)

Em setembro de 2015, a Organização das Nações Unidas estabeleceu a Agenda 2030, um plano global que conta com 17 objetivos de desenvolvimento sustentável para acabar com a pobreza, proteger o meio ambiente e o clima e garantir que as pessoas tenham uma vida próspera e pacífica.


O terceiro objetivo estabelecido de desenvolvimento sustentável é assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todas e todos, em todas as idades. A Constituição Federal brasileira estabeleceu como dever do Estado fomentar práticas desportivas formais e não formais, assim definindo o esporte e o lazer como direitos sociais constitucionais. Porém, as políticas públicas estatais não se materializam de acordo com o que foi estabelecido por lei.


É inegável a importância do esporte. Recupera a autoestima, auxilia no desenvolvimento de crianças e adolescentes, promove a socialização e a inclusão social além de ter a capacidade espetacular de revelar talentos. Assim como o lazer, que é fundamental para uma vida mais saudável, ajuda no controle do estresse, na percepção de autocuidado, no equilíbrio da saúde mental e física.


Ou seja, o esporte e o lazer são os maiores protagonistas para a melhora na qualidade de vida e também agentes de transformação social. Democratizar essas duas ferramentas é de extrema importância d o projeto Escolinha do DEF contribui para isso, garantindo o acesso à saúde de qualidade e promovendo o bem-estar. O projeto promovido pelo Departamento de Educação Física da UEPB (Universidade Estadual da Paraíba) oferece aulas gratuitas em várias modalidades esportivas para todas as idades.


Maria Vitória, uma das voluntárias do projeto, expressa a sensação de ministrar as aulas de dança na Escolinha do DEF:


É extremamente gratificante, principalmente quando escutamos as alunas dizendo que se sentem bem, o quanto que a aula é boa. (...) Quando terminamos elas dizem: Meu Deus, a aula já acabou?. É muito bom saber que tiramos elas de casa, dos seus problemas e trazemos pra cá, para relaxar e socializar

Criado em agosto de 2000, o Laboratório de Saúde, Esporte e Lazer, mais conhecido como Escolinha do DEF, foi idealizado pela professora Anny Dantas com o objetivo de promover o esporte de forma gratuita e responsável sob supervisão profissional. Todos, desde crianças acima de 7 anos até idosos, sem limite de idade, podem se inscrever no projeto e assim, terem aulas semanais gratuitamente.


As inscrições abrem no início de cada semestre e para se inscrever é só ir no Departamento de Educação Física da UEPB com os documentos necessários (RG, cartão de vacinação e comprovante de matrícula para aquele que estiverem em idade escolar) e escolher a modalidade que deseja participar. São oferecidas aulas de dança, ginástica, natação, hidroginástica, musculação, lutas, atletismo e futsal.



Recentemente, na modalidade de ginástica foi inserido o esporte parkour que consiste na superação de obstáculos físicos e imaginários durante um percurso em qualquer tipo de espaço, seja natural ou urbano. A prática do esporte vem se tornado cada vez mais popular e tem grandes chances de virar um esporte olímpico. O projeto é pioneiro a oferecer o parkour para crianças em Campina Grande.


Trabalhando com a inclusão, a Escolinha do DEF oferece um espaço que visa a participação e o desenvolvimento de pessoas portadoras de deficiências e necessidades especiais. O ambiente e os envolvidos no projeto promovem a socialização e oferecem a oportunidade dos participantes se interessarem por esportes e atividades físicas ao adicionarem as práticas esportivas na sua rotina diária.


Professora voluntária auxiliando os alunos de natação da escolinha
Piscina do Departamento de Educação Física durante as aulas da escolinha (Foto: Bianca Dantas)

A estudante Maria Beatriz, uma das bolsistas do projeto, deu a seguinte declaração sobre a importância da Escolinha do DEF:


‘‘Poder ajudar com que mais pessoas tenham acesso ao esporte assim como eu tive desde criança, é muito gratificante. É algo que eu sinto que vale a pena fazer, que vale a pena me esforçar. (...) Todas as vezes que vamos fotografar e gravar vídeos para as redes sociais, nos sentimos muito bem de estar ali e de estar vendo o quão bonito é esse projeto e o quanto ajuda as pessoas.’’

Está cada vez mais difícil encontrar espaços que ofereçam esportes para pessoas de todas as idade e é ainda mais difícil para pessoas portadoras de deficiência e necessidades especiais, a Escolinha do DEF oferece uma variedade de opções e de forma gratuita. É isso que faz o projeto ser tão importante, além de democratizar o acesso ao esporte e ao lazer, é inclusivo. E se fosse promovido mais projetos como esse, o Brasil estaria cada vez mais perto das metas de 2030 que a ONU planejou.


Imagem da tela de um celular contendo o perfil do Instagram da Escolinha do Def.
Instagram responsável pela divulgação do projeto (Foto: Victória Custódio)

 

FICHA TÉCNICA


Fotografia: Bianca Dantas, Victória Custódio, Victor Manuel

Texto: Bianca Dantas, Victória Custódio

Supervisão Editorial: Rostand Melo

Agradecimentos: Maria Beatriz (bolsista do projeto Escolinha do DEF), Maria Vitória (voluntária do projeto Escolinha do DEF) e Escolinha do DEF





27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page