top of page
  • Ramon Salles

Ed, o Véi da Vila: a jornada de um artista e ser humano inspirador

Ed Cavalcante, nascido em Setembro de 1965, artista, compositor, formado em marketing e propaganda comercial, casado, apaixonado pela vida e pela arte, faz da sua história e vivência alicerces para as novas gerações.


Quem é Ed Cavalcante?


Ed Cavalcante é muito mais do que um nome; é uma história de superação, resiliência e amor pela arte. Ele se define como um ser humano consciente de sua missão, sem pretensões grandiosas, mas com um coração cheio de propósito e dedicação ao próximo.


A maior referência de Ed: a mãe


Para Ed Cavalcante, sua mãe, Terezinha Cavalcante de Matos, é uma fonte constante de inspiração e referência. “Ela é a minha maior referência como ser humano, profissional, mãe, referência familiar e exemplo de doação ao próximo”, compartilha Ed com gratidão. Sua mãe representa não apenas um modelo a seguir, mas também um amor incondicional e uma dedicação exemplar, que moldaram sua visão de vida e valores. Fala Ed com muita emoção uma frase que diz “Quero morrer Teresinha”


A infância e os desafios de Ed em João Pessoa


A infância de Ed foi marcada por desafios e responsabilidades precoces. Como o mais velho de quatro irmãos, ele teve que assumir responsabilidades desde cedo para sustentar sua mãe e seus irmãos mais novos. “Eu tive que virar homem aos doze anos de idade”, revela Ed sobre os desafios enfrentados na juventude. Apesar das dificuldades financeiras e das limitações, Ed destaca o amor e o apoio de sua mãe como o ponto mais importante de sua infância, onde a criatividade e a simplicidade eram parte essencial de sua diversão.




A Arte Como Parte Integrante da Vida de Ed


A relação de Ed com a arte começou cedo, influenciada pela musicalidade de sua mãe e pela cultura junina em sua família. “Minha primeira experiência com a arte foi no quintal da minha casa, com minha mãe marcando ‘olha a chuva’ para a quadrilha junina”, relembra Ed com nostalgia. Esse ambiente musical despertou nele o interesse pelo violão e pela música, levando-o a desenvolver sua habilidade artística ao longo dos anos. A vida cotidiana se misturou com a arte, e Ed encontrou na composição e na expressão artística uma forma de compartilhar suas experiências e emoções com o mundo.


De João Pessoa para o Mundo dos Negócios, A Jornada para São Paulo e a Decisão de Trabalhar Fora


Ed, aos dezoito anos de idade, tomou uma decisão marcante ao sair de João Pessoa para buscar oportunidades em São Paulo. “Tinha acabado de deixar o quartel e precisava sustentar minha família”, compartilha Ed sobre os motivos que o levaram a essa escolha. Sua família, composta por uma mãe separada sem emprego e três irmãos mais novos, dependia dele. A oportunidade de vender livros em São Paulo surgiu de maneira inesperada, através de um amigo do seu pai que era vendedor e teve sucesso na cidade. “Na editora, eu bati recordes de vendas”, orgulha-se Ed ao lembrar de sua performance excepcional.


Seu talento chamou a atenção e o levou a uma oferta para trabalhar diretamente com o primeiro vendedor da editora, marcando o início de sua jornada profissional na metrópole paulista.


Foto: Ramon Sales

A Experiência Marcante e o Encontro com Abílio Diniz


Após sua passagem pela Editora Novo Brasil, Ed sentiu a necessidade de aprimorar seus conhecimentos na área de vendas. “Surgiu então a oportunidade de fazer um curso de capacitação na área”, relata Ed sobre sua busca por crescimento profissional. O curso abrangia diversas áreas relevantes, como atendimento ao público, marketing e publicidade, proporcionando a ele um conhecimento valioso para sua carreira.


Foi durante esse período que a empresa Pão de Açúcar estava recrutando para o shopping Sandiz, que homenageava Abílio Diniz em seu nome. “Fui selecionado com base em meu currículo e experiência”, destaca Ed sobre o reconhecimento de suas habilidades comerciais.


Sua chegada ao shopping marcou o encontro pessoal com Abílio Diniz, um dos maiores empresários do Brasil. “Ele tinha um apreço especial por essa loja”, conta Ed sobre a importância da loja Santos Diniz dentro do grupo Pão de Açúcar. Sua experiência e expertise no comércio foram essenciais para ser selecionado, marcando o início de uma trajetória de sucesso no grupo Pão de Açúcar.


Como e onde nasceu o personagem Véi da Vila?


O Véi da Vila nasceu de uma jornada marcante na vida de Ed, residente do bairro Bessa em João Pessoa, próximo ao mar.


Após retornar de São Paulo e casar, uma doença devastadora transformou sua vida matrimonial. "Essa doença, que ainda hoje é o estigma da sociedade, é o incurável, é o que destrói muitas vidas, muitos sonhos, muitos amores", compartilha Ed. No meio dessa dor, sua determinação em encontrar felicidade mesmo em momentos difíceis o levou a criar o personagem do Véi da Vila. "Eu não poderia adoecer com ela. E foi onde eu comecei a sonhar a envelhecer com ela", revela Ed, destacando a importância de manter a alegria e os sonhos vivos, mesmo diante das adversidades.





A vida resolveu sorrir novamente trazendo consigo o amor


Após vivenciar o luto, um novo capítulo se abriu na vida de Ed. "Curti o meu luto e apareceu um anjo chamado Socorro", compartilha Ed emocionado.


Sua atual esposa e seu filho Gustavo trouxeram uma nova luz e esperança para sua vida em Campina Grande. "Ela inventou de me presentear com ovo de Páscoa e aí foi quando eu vi que aquele homem despedaçado ainda estava despertando o interesse das mulheres", relata Ed sobre o renascimento do amor e da alegria em sua vida. O apoio e o carinho de sua família foram fundamentais para sua superação e resiliência.


Da oportunidade ressurge o personagem


Aposentado e em busca de uma nova maneira de subsistir, Ed encontrou inspiração em suas habilidades culinárias e na arte do artesanato. "Eu me lembrei que, num determinado ponto da minha vida, eu tinha aprendido a fazer suspiros caseiros, biscoitinhos caseiros", conta Ed. Com essa expertise, ele entrou na vila do artesão em Campina Grande e iniciou sua jornada como artesão de biscoitos.


Foi durante as festividades do São João que o Véi da Vila ganhou vida. "Imagine só um velho com a sacolinha de biscoito divertido, caracterizado, chegando na sua frente, animando e vendendo biscoitos", descreve Ed sobre a primeira aparição do personagem.


O reconhecimento e o convite para participar do cenário Vila Nova da Rainha no Parque do Povo foram momentos marcantes em sua trajetória. "Foi onde eu comecei a animar e recepcionar como Véi da Vila, criando a oportunidade de me apresentar e cantar também", finaliza Ed, mostrando como o Véi da Vila se tornou uma figura querida e icônica nas celebrações do São João.


Foto: Ramon Sales
 
EXPEDIENTE:

Fotografia e reportagem: Ramon Sales

Supervisão Editorial: Rostand Melo e Ada Guedes

41 visualizações1 comentário

תגובה אחת

דירוג של 0 מתוך 5 כוכבים
אין עדיין דירוגים

הוספת דירוג
אורח
28 ביוני
דירוג של 5 מתוך 5 כוכבים

Uma experiência incrível e singular.

לייק
bottom of page