top of page
  • ANA FLAVIA BEZERRA FARIAS

“É o SWING do M.A”: as adversidades e ascensão de Matheus Alves

Atualizado: 16 de mar. de 2023


Foto: Jairo Vasconcelos

"Creio em Deus Pai Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra; e em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor..." é com esse trecho da oração do Credo que podemos descrever a religiosidade do cantor paraibano Matheus Alves. Nascido em Campina Grande, o artista tem a fé como um guia e a música como um sonho de vida. Atuante no gênero do "Piseiro", o estilo pode gerar dúvidas nas pessoas por julgarem como oposição ao que prega a doutrina da Igreja Católica. Mas o cantor esclarece: "O que Deus vai analisar na minha vida é o que faço no momento em que ninguém está me vendo. As pessoas que ajudo com uma palavra, afeto e carinho."


Matheus Alves, 21 anos, cantor, coroinha e sonhador é um jovem em busca da ascensão no âmbito musical. Se descreve como indeciso porque na infância dividia a paixão pelo futebol e a música, mas o seu destino foi entrelaçado pelo meio artístico. Religioso, sempre busca falar sobre Deus como o seu maior ídolo e a inspiração da trajetória da sua vida.


Foto: Hellen Mayara Rocha

Quando criança, Matheus era cercado de influências que o ajudariam a se apaixonar pela área musical. Lembra que ficava atento quando a mãe colocava as músicas para fazer a faxina da casa e nos conta que com 4 anos de idade ouvia as canções de Amazan e o imitava: "Eu ficava fingindo que a almofada era uma sanfona e cantava às músicas dele."


Com 8 anos de idade, o pai de Matheus decidiu que era preciso o menino ocupar o seu tempo ocioso. Decidiu inscrever o garoto em duas atividades: na escolinha de futebol e no curso de música. A partir disso, Matheus percebeu o seu lado aflorar para o esporte e diminuir para a música: "Passei seis meses estudando no curso de música e não aprendi nada, nem a tocar um instrumento, por incrível que pareça".

Se na infância não desenvolveu habilidades musicais, na adolescência, com o apoio de um amigo que tocava violão e decidiu ensiná-lo, Matheus aprendeu suas primeiras notas em seu violão que até então ficava ali parado.

E foi no grupo de coroinhas da igreja que a sua trajetória com a música foi se desenhando. Certa vez um amigo de infância o convidou para assistir os ensaio do trio de forró. De espectador dos ensaios do grupo, Matheus foi convidado a ser um dos integrantes após um componente que formava o trio desistir. Tocando o triângulo nas festas teve a sua primeira experiência no palco. Quando questionado pelo colega de banda se sabia cantar ficou receoso, mas aceitou o desafio. A experiência o fez ganha confiança, mas Matheus queria encontrar o seu próprio lugar e estilo e decidiu apostar em carreira solo.

Aos pais disse que os estudos não era seu forte e pediu o apoio deles para que o ajudassem no seu sonho. Dito e feito: “Se é isso que você quer, a gente vai lhe apoiar".



Foto: Ana Flávia Farias

Porém, os desafios na caminhada estavam por vir. Junto com o pai, caminhava pelos bares em busca de oportunidade para cantar. Mas eram recebidos com um seco "não" pelos donos. A figura paterna o consolava dizendo que era normal receber respostas negativas e que futuramente o jovem estaria com a agenda de shows lotada.


As experiências na música foram se formando através das participações em concursos musicais. Os vários "quases", como costuma dizer, estavam sempre presentes. Recebeu diversas vezes o "não" como resposta em suas tentativas e o que mais lhe marcou foi o concurso na cidade de Lagoa Seca, na Paraíba, quando um dos jurados no programa "Ídolos", da Record TV, disse: "Volta amanhã, mas volta amanhã sabendo que você ainda não vai tá pronto. Você tem que estudar muito ainda para conseguir cantar", nos conta.


Foto: Hellen Mayara Rocha

Em 2018, descrente de qualquer expectativa, Matheus decide se inscrever no concurso "Dom Forró", realizado pela TV Itararé. Passando pelas fases do programa destacou-se em meio aos concorrentes e se tornou o campeão. Depois do 1° lugar no concurso, o artista viu as oportunidades se abrirem na sua vida. A frase do jurado neste momento não fazia mais sentido com o seu progresso.

E dessa vez, o “deu certo” deu lugar ao “por que não tá acontecendo?”. Em 2018, Matheus foi incentivado por um amigo, a participar do programa do Raul Gil, no SBT. Mesmo inseguro e se sentindo despreparado, decidiu se inscrever, mas resolveu que não colocaria tantas expectativas pra não "quebrar a cara" mais uma vez. E dessa forma ele fez, se inscreveu, não comunicou a ninguém e até se esqueceu que havia feito a seleção. Alguns dias depois, recebeu a notícia que havia sido selecionado para concorrer no quadro "Jovens Talentos" e que iria para São Paulo, mas que não seria daqui 2 ou 3 meses, ele viajaria na semana seguinte. Então desacreditado, começou as preparações para ir, desde os ensaios até arrecadação de dinheiro para os gastos que eram por conta da família.


“A experiência é algo surreal… Lá é incrível, é tão grande que não dá pra se locomover a pé, tem uma espécie de “ponto de ônibus” que você espera um carro pra te levar”, conta Matheus, que teve a oportunidade de cantar três vezes no programa. Mas como nem tudo são coisas positivas, a cidade natal não correspondeu às suas expectativas e ao retornar para Campina, as portas que ele imaginava que fossem se abrir, não abriram. Os bares nos quais se apresentava, não o contrataram mais e percebeu que tinha “batido na trave”, não era naquele momento a sua hora de “estourar”.

Em meio à pandemia percebeu a carreira entrando para monotonia. Diante disso, decidiu participar do concurso virtual promovido pelo "Sua Música", que alavancou a carreira. Entre uma disputa acirrada na final, Matheus, com ajuda dos fãs, conseguiu superar João Gomes na votação e levou o prêmio. A recompensa foi a divulgação nas redes sociais e de bônus um contrato com a gravadora. A disputa lhe rendeu conhecer o parceiro de música Japãozin e juntos lançaram o hit "No Sigilo" que soma milhares de visualizações nas plataformas digitais.

De uma forma inusitada, o artista foi convidado para se apresentar no "Maior São João do Mundo". Através de uma live no Instagram, Matheus contou que foi surpreendido com a presença do prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima. Admirado com o desempenho do cantor, decidiu convidá-lo para cantar na edição da festa em 2022. Acostumado a se apresentar nos concursos e nas palhoças no período junino, estaria diante do público da própria cidade. O cantor nos fala da experiência como o melhor show da sua carreira e relata que não conseguiu segurar a emoção:


"Eu não queria chorar, mas quando vi as pessoas chorando, eu não aguentei."

A história de Matheus Alves não se encerra por aqui. O artista sonhador de Campina que enfrentou as várias adversidades para buscar a ascensão na música continua a lutar por mais visibilidade. Com o apoio da família e do seu maior ídolo Deus, estão todos juntos para tornar os "quases" da sua vida em realizações.


Confira mais imagens no slide-show:


 

FICHA TÉCNICA

Fotografia, texto e reportagem: Ana Flávia Farias, Hellen Mayara Rocha e Jairo Vasconcelos

Supervisão editorial: Rostand Melo e Ada Guedes



107 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page